Incestos

[Votar]
[Atualizar]
[Contos]
[9] O começo de tudo
As minhas primeiras lembranças das delicias do sexo começaram quando eu era ainda uma pequena menina. Moravamos em uma casa com apenas dois quartos onde dormiamos nos quatro. Meu pai e minha mãe e eu e meu irmão. Como recebiamos muitas vezes vizitas de meus tios o meu pai colocou no nosso quarto uma cama de casal. Logo na primeira noite que dormimos juntos na mesma cama eu senti as primeiras investidas de meu maninho. Estava tudo escuro, já era de madrugada, e eu senti a mãozinha dêle passeando pelo meu corpinho. Não liguei e deixei ele continuar. Ele estava fazendo uma exploração completa e eu já estava gostando daquilo. Quando sua mãozinha quente tocou minha coxa eu fiquei meia trêmula com aquela sensação tão gostosa. Minha perna ficou com os pelinhos todos em pé e ao sentir sua mão subindo em direção à minha calcinha eu já fui abrindo as pernas pra facilitar. Quando me tocou a bucetinha sob a calcinha, passando o dedo medio pela minha valinha, de cima pra baixo, eu senti uma sensação de prazer que não dá nem pra descrever. Eu sou mais velha que meu irmão dois anos e um pouco mais desenvolvida que êle. Já tenho dois limãosinhos crescendo no lugar dos meus peitinhos, duas coxas bem grossinhas e bundinha empinadinha. Minha buceta é bem grande com lábios carnudos e meu botãozinho fica durinho quando meu irmão me toca. Meu irmãozinho é bem sabidinho e foi logo enfiando a mão por dentro da minha calcinha e senti seu dedo percorrer minha xana todinha me dando um prazer imenso. Deixei êle se aproveitar o quanto quiz de mim e fingi que estava dormindo, esperando que êle matasse o tesão que eu estava sentindo. Mas naquela noite tudo ficou apenas nisso porque ele acabou dormindo e eu fiquei naquela ansiedade. Na outra noite eu não via a hora de ir pra cama com meu irmãozinho. Já deitei sem calcinha, falei pra meu irmão que estava muito cansada e que iria dormir que nem uma pedra naquela noite e que nada me acordaria e fingi logo estar dormindo. Não demorou nada e aquela mãozinha estava novamente na minha bucetinha molhadinha de tesão. Meu irmão achou logo a entradinha e enfiou seu dedindo bem lá dentro me fazendo sentir uma dorzinha aguda, mas não chegou a romper meu cabacinho. Sentindo aquele dedo enfiado em mim eu comecei a tremer de desejo e acabei tendo o meu primeiro gozo e minha bucetinha deu umas apertadinhas no dedinho fino do meu irmão. Eu queria mais e isso me deixava anciosa, mas ao mesmo tempo não podia "acordar" porque estragaria tudo. Meu irmão fez o que quiz na minha buceta e depois foi dormir. Eu ainda fiquei um longo tempo morrendo de tesão pois queria mais. Todas as noites era a mesma coisa até que resolvi mudar a situação. Nessa noite eu comandaria o show. Logo que deitamos eu fui logo tomando a iniciativa. Nem bem nos cobrimos com o lençol eu fui logo passando a mão nas coxas do meu irmão e embora ele tenha ficado meio chocado deixou que eu fosse apalpando-o até chegar no seu pintinho que encontrei já todo durinho. Tirei seu short e fiquei alizando seu pauzinho que estava ficando ainda mais duro e mais compridinho. Minha buceta ficou toda molhadinha enquanto eu ia alizando o pau do meu irmãozinho. Ele estava gostando e eu desejando aquele pinto. Vem....disse eu. Puxei êle pra cima de mim, abri as pernas ao maximo, êle se ajeitou entre elas e eu segurei no seu pauzinho e coloquei a cabeça na entrada da minha bucetinha e esperei pela penetração. Meu irmão meteu com toda força e seu piru entrou todinho na minha grutinha e eu senti meu cabacinho se rasgando todo. Doeu um pouquinho na hora mas logo era só prazer. Recebi suas metidas e sentia seu pauzinho entrando e saindo na minha bucetinha. Gozei maravilhosamente naquele pau muitas e muitas vezes mas, como nada é perfeito, sentia falta de um cacete grosso e bem comprido que me enchesse toda a buceta. Aquele pauzinho me fazia gozar sim, mas não era como eu desejava. Queria um pau que fosse lá no fundo da minha buceta, que fosse também bem grosso para que eu me sentisse alargada todinha. Continuei fodendo todas as noites com meu irmãozinho mas de olho em outro homem pois havia visto o seu cacete e era como eu queria. Estava esperando uma oportunidade de ficar sozinha com meu pai pois só pensava no cacetão dêle, desde o dia que vi êle fazendo xixi lá no sitio. Ele segurava aquele pinto enorme, meio mole, e mijava gostovo nem me viu espiando êle. Aquela imagem não saiu mais da minha cabeça e eu só ficava imaginando aquele pinto todo duro que tamanho teria. Foi muito tempo esperando uma chance até que um dia eu fiquei sozinha com meu pai em casa uma noite. Na hora de dormir eu disse que queria dormir com êle pois tinha medo de ficar sozinha no outro quarto. Papai concordou e mandou eu ir deitar antes dele e eu, claro, tirei a calcinha pra facilitar o meu plano. Me deitei de babydoll, com as pernas meia abertas, luz acesa, e fingi estar dormindo. Logo meu pai veio e ao entrar, ali na porta. já viu minha buceta. Ficou parado olhando, sem ação pra continuar, e eu vi seu pijama se esticando pra fora porque o pau dele estava ficando duro. Era um volume de botar medo, não em mim, mas eu queria aquilo tudo em minha bucetinha, e logo. Ele só conseguiu apagar a luz e em minutos se deitou ao meu lado. Aguardei cheia de ansiedade mas como nada acontecia resolvi eu tomar a iniciativa. Coloquei minha mão na cintura de papai, o abraçando e fiquei fazendo carinho nêle lentamente. Como êle não reagiu e nem falou nada eu fui, como bastante calma e delicadamente deslizando minha mãozinha pra baixo até que toquei bem em cima daquele volume enorme, quente e apontando pro teto de tão duro. Quando minha mãozinha conseguiu segurar aquele mastro eu quase gozei só com a censação que senti. Minha buceta estava ensopada mesmo, toda lubrificada, umida e macia, quente e receptiva, querendo ser penetrada. Papai se virou pro meu lado e meteu a mão na minha grutinha com todo prazer e sentiu o quanto eu estava querendo o pau dele. Logo tirou o pijama e deitou sôbre mim. Abri as minhas coxas gostosas e ofereci minha grutinha pra ele. Senti seu pau na entradinha. A cabeça se alojando e me abrindo toda. Enlacei sua cintura com minhas pernas e o puxei pra dentro de mim. Agora estava sendo, realmente, penetrada por uma pica deliciosa. Grossa e comprida como sempre desejei. Um pau que me fizesse delirar de tanto gozo. Que deslizasse apertado pelas paredes da minha grutinha......que chegasse bem no fundo e me fodesse com força e por muito tempo. O pau entrou a cabeça e eu senti minha buceta se rasgando, a cada estocada ia entrando mais e mais e parecia que não ia terminar nunca. Como era grosso o pau de meu pai ! Como êle sabia meter gostoso! Parecia que eu estava pairando no ar, corpo leve, corpo delirando de prazer, Buceta piscando de gozo apertando aquela vara deliciosa que me fodia compassadamente. Ele não parava de meter e já conseguia enfiar tudinho na minha buceta que se desmanchava em gozo. Meu melzinho escorria em volta da pica e descia pelo meu reguinho até o lençol. Fazia aquele barulho gostoso enquanto em gozava e gozava. Que noite deliciosa.....
Angela (05/23 16:15)
Visualizado 16540
[Nota 7.59]


Convide seus amigos
CONTATO
By Delicia.jp
9086589
Total de visitas