Zoofilia

[Votar]
[Atualizar]
[Contos]
[10] Presente Canino de Aniversário-VERIDICO
Olá, sou a Shirley e conto agora mais uma aventura sexual aqui de casa. Tenho uma filha, Flávia, agora com 14 anos, cada vez mais gostosinha e parecida comigo. Eu tenho 32 anos, tenho 1,70m e 57Kg, cabelo comprido liso preto, enfim sou bonita (é o que dizem). Bem, a Flávia estava de aniversário em 11/05, mas nós antecipamos e fizemos uma festinha no sábado, com os colegas e mais alguns amigos dela. O Paulo, meu marido, pra variar, estava viajando. Enfim, pra não bancar a mãe chata, fui pro meu quarto assistir um pouco de TV, enquanto a festa rolava na garagem. Depois de um tempo fui dar uma olhada no que estava acontecendo, e era aquela hora da música lenta, dos casais juntinhos. A Flávia já estava agarrada e dançando com um colega dela, e outras também. Voltei pro quarto, já eram umas 23:00, e matei mais um tempinho. Depois de mais um tempo, vários convidados foram embora, e eu fui dar mais uma espiada. Vi então que só restaram mais dois casais, sendo um deles formado pela minha filha. Não demorou muito e todos foram embora. Fui então dar uma leve ajeitada na bagunça que ficou aquela garagem, enquanto Flávia tinha ido ao pátio e logo voltado (eu achei que ela só tivesse acompanhado a última amiga dela até o portão). Arrumei-me para dormir, e quando fui pro quarto da Flávia, levei um susto, pois Flux (nosso rottweiler) estava lá, e levando uma gostosa mamada. Flávia estava de quatro, segurando o cão de barriga pra cima e ao mesmo tempo fazendo uma chupeta de fazer inveja. Quando ela me viu, ficou assustada e me olhando. Eu só sorri e fui em direção a ela. Ela percebeu que eu queria muito participar daquela festinha particular e continuou chupando. Eu, que estava só de camisola e calcinha, fui tirando devagar a roupa da Flávia, que estava de saia (até o joelho), calcinha e um tomara-que-caia bem sexy. Tirei primeiro a saia, deixando a calcinha dela a mostra, que já estava muito melada. Enquanto ela estava gemendo, eu tirei a minha camisola, ficando quase nua. O Flux percebeu que a noite ia ser de bastante sexo, e começou a esboçar o movimento de vai-e-vem, meio atrapalhado por estar naquela posição. Voltei à minha filha e lhe tirei o tomara-que-caia, ficando nós duas só de calcinha. Fiz que era um macho a montar na Flávia e fiquei agarrada nela, pelas costas, lambendo-lhe a nuca, uma mão vasculhando o interior da calcinha e a outra esfregando e beliscando os seios dela. Ficamos assim até que ela não aguentou e pediu um pau dentro dela. Mudamos então a posição, sendo que o Flux ficou como estava, eu fiquei sentada nele, na altura do peito dele, pra ele não sair daquela posição, enquanto a Flávia, que já tinha arrancado a calcinha, começou a sentar e escorregar a pau pra dentro da xaninha. Ficou rebolando, de um lado pro outro, pra cima e pra baixo, até que conseguiu enfiar o nó, que já tinha se formado, pra dentro. Eu estava de frente pra ela, vendo aquela carinha de muito prazer, vendo ela gemer e ter um violento gozo, enquanto eu ajudava e massageava os seios dela e a minha xana também. A parte mais forte de gozo da Flávia já tinha passado, e ela estava arfando de cansaço e satisfação, mas ela ainda tinha que aguentar o nó do Flux, que estava pulsando dentro dela. Ela já estava meio mole, mas ainda quis me fazer um agrado e começou a me mamar. Eu adorei, e enquanto ela me sugava, eu fui com uma das mãos alisar toda a bunda dela, enquanto a outra não parava de mexer no meu grelo. Eu pude sentir que o Flux fez um esforço maior e Flávia parou de mamar por um tempinho, pois sentiu uma onda de porra quente a inundar sua bocetinha. Flávia deu uma suspirada maior e desfaleceu em cima de mim, e eu tive de segurá-la por uns instantes, até ela se recuperar um pouco. Alguns minutos depois, Flávia conseguiu desentalar o pau do Flux, deixando escorrer realmente muita porra, que se esparramou pelo chão. Eu saí de cima do Flux, que imediatamente foi se lamber, enquanto eu fui limpar minha filhinha arregaçada. Enquanto lambia aquela xana vermelhinha, Flávia teve ainda mais um gozo. Mas eu ainda não estava satisfeita. Flávia viu isso, assim como viu que Flux estava fora de ação por um tempo. Eu estava sentada na cama, metendo uma frenética siririca, quando Flávia veio e me disse: Pode deixar isso comigo! Quando ela disse aquilo, meu tesão reacendeu completamente. Ela então foi com a cabeça até o meu pescoço, a mão esfregando a minha buça, e foi descendo devagar com a cabeça, lambendo meus seios, barriga e finalmente a minha racha. Na hora eu gozei um gozo muito intenso, que durou um bom tempo, me fazendo delirar de prazer. O Flux, que estava num canto se cheirando, até veio ver se estava tudo bem e ficou lambendo a minha cara, enquanto a Flávia foi diminuindo o ritmo, até que nós duas ficamos saciadas. Depois disso, Flávia levou Flux pra fora e voltou toda sorridente, só de calcinha. Eu me restabeleci e fui me lavar. Depois Flávia e eu conversamos um pouco e ela me disse que o rapaz que estava com ela ficou bolinando-a e deixou ela em ponto de bala, mas foi embora. Mas que este fora o melhor aniversário dela. E com certeza foi ótimo pra mim também. E de presente mesmo pra Flávia eu comprei um lindo cãozinho são bernardo, com 6 meses, que a gente chamou de Rufus, e provavelmente vai nos encher de gozo daqui a algum tempo. Agradeço de coração aos votos e e-mails recebidos, e peço que as mulheres me dêem dicas de novas posições e macetes na prática da zoofilia. Abraço, e leiam meus outros contos. shigoncalves@yahoo.com.br
Shirley32 (05/24 04:53)
Visualizado 2440
[Nota ]


Convide seus amigos
CONTATO
By Delicia.jp
9179189
Total de visitas